sábado, 28 de janeiro de 2012

Todo dia é dia de Fusca


Imagem: Scylla Lage Neto

O mundo elegeu o dia 22 de junho como o Dia do Volkswagen Beetle, mas no Brasil tinha que ser um pouquinho diferente.
Conta a lenda que em 1988 o Sedan Clube optou pelo dia 20 de novembro para ser o Dia Nacional do Fusca, mas graças a um atraso na produção das faixas promocionais, que foram grafadas com o número 20 e sem o mês, o dia comemorativo pulou dezembro e as festas natalinas e acabou desembarcando em janeiro. Fator Brazil...
Fui lembrado da data pelo nosso comentarista frequente Pedro do Fusca, dono do mais belo besouro da nossa cidade, um 1958 verde, mas estava ausente e acabei escolhendo aleatoriamente a data de hoje, 28 de janeiro, para celebrar o Dia Flanar do Fusca.
Tenho certeza de que o Fusqueta faz parte da história de quase todos nós, e talvez exceto pelos mais novinhos, todos já dirigimos ou pelo menos passeamos ouvindo o delicioso e peculiar barulho de seu motor boxer refrigerado a ar, um primor da engenharia da década de 1930.
Dentre alguns "causos" envolvendo o Fusca, recordo de um parto feito lá pelos anos 80, dentro de um táxi, no estacionamento do Pronto-socorro da 14 de Março. Aquele espaço correspondente ao banco da frente, que era retirado deliberadamente, transformou-se em centro obstétrico e trouxe uma menina de choro vigoroso à vida, para emoção de um punhado de acadêmicos de medicina.
Como foram produzidos mais de 3 milhões de unidades do Fusca, eu me pergunto quantos partos podem ter ocorrido no interior da carismática viatura pelo nosso Brasilzão de Deus.
Vida longa ao Fusca!

PS: homenagem do blogger ao Pedro do Fusca e ao Roger Normando, preservadores da nossa memória automobilística através de seus valentes besouros.

11 comentários:

Pedro do Fusca disse...

Graças a pessoas como voce todo dia é dia do Fusca!

Scylla Lage Neto disse...

E viva o Fusca, Pedro!!!

Homem do Norte disse...

Cilão,
Eu tirei uns dias de recesso e fui pro Rio, por isso o retardo na resposta. Por lá, admirava os vários fuscas rodando pela Maravilhosa em estado impecável. Fator saudade... Valeu a lembrança!!!

Scylla Lage Neto disse...

VIDA LONGA AO PIRENTO BLUES!

Andrea filha do Pedro do Fusca disse...

Obrigada pela homenagem ao meu heroi, nao o fusca, mas o Pedro do fusca.

Aqui na Bélgica so vejo fuscas durante o verao, nos passeios de carros antigos, os famosos 'ancetres'. Tendo em vista o frio que esta fazendo por aqui, vou ter que esperar muito tempo para escutar o motor destas reliquias.

O bom desta onda de frio é que matei todos os acaros :)) Adeus a crise de asma do caçula.

Scylla Lage Neto disse...

Andrea, o Pedro é meu amigo e nosso herói!!
Quanto ao Fusca, passei recentemente pela Cidade do México e vi tanto Fusca que quase enjoei. Até Fusca-táxi ainda roda por lá.
E enquanto os ácaros dão trégua por aí, aqui no nosso inverno paraense eles se divertem...
Abraços.

Pedro do Fusca disse...

Obrigado pelas palavras do Blogueiro e da Andréa, não sou herói de coisa alguma, apenas sou amigo de minhas filhas e de algumas pessoas que privam da minha amizade!

Denise Filha Do Pedro Do Fusca disse...

Dr. Scylla, não posso deixar de registrar meu comentário também:

Como Denise, filha do Pedro do Fusca e sua paciente, agradeço pelo post em homenagem ao Fusca e ao meu Paizão e posso dizer que com certeza não sem como seria a minha vida sem um fusca por perto de mim. Lembro de quando minhas irmãs já eram adolescentes e não queriam mas "brincar" de ajudar o papai a mexer no Fusca e eu assumí esse posto. Com isso aprendí o nome de algumas ferramentas, peças de carro e como "me virar" se um dia tivesse um fusca e ficasse no prego. De noite às vezes limpávamos o carburador e me sentia importantíssima, ia com meu paizinho na oficina e até conhecia o Zé, da Mundurucus, e quando aprendí a dirigir, no Fusca, é claro, ouví do meu pai: "Minha filha qualquer coisa, se bater o carro, leva pro Zé". E realmente batí, logo que tirei a carteira. Mas estava em Mosqueiro e tive que dar a notícia pro Paizão mesmo, que estava lá, e eu, morrendo de medo porque dei uma raspadinha em uma de suas jóias. E ao invés da bronca que esperava, não tive nada diferente do ele me deu desde que nascí: AMOR e COMPREENSÃO. Ainda me incentivou a continuar a dirigir, quando eu disse que isso não era mais prá mim. Por tudo isso e muito mais, o Pedro do Fusca é demais!
TE AMO PAIZÃO!

MUITO OBRIGADA DR. SCYLLA.

Scylla Lage Neto disse...

Denise e Pedro, fiquei emocionado com o relato, envolvendo o Pedro, as filhas e o fusca.
Um abraço grande.

PS: Denise, não me chame de Doutor, por favor. O médico é aquele do consultório - este é o monstro...
Rsssss.

Denise Filha Do Pedro Do Fusca disse...

Rsrsrsrsrs.

Muito obrigada Scyllla!

Agora você também faz parte desta história da Família de Fuscamaníacos.

Um grande abraço.

Scylla Lage Neto disse...

Denise, faça como seu pai e sua irmã e nos visite sempre aqui no flanar.
Abraços.