terça-feira, 26 de outubro de 2010

O Maiô de Dona Marisa ou:

Quem São os Verdadeiros Jecas do Brasil? Excelente artigo assinado pelo filósofo Rodrigo Nunes. Leia inteiro no blogue O Biscoito Fino e a Massa.
Mas, para os que preferem a extensão twitteriana dos textos, um trecho pode bem servir de resumo à satisfação da curiosidade:

Partido e candidato que um dia representaram uma vertente modernizante das classes média e alta de São Paulo, de quadros intelectuais e tecnocratas bem-formados, dissolveram-se na geléia geral em que quatrocentão e “painho”, uspiano e grileiro, socialite e “coroné” existem, desde sempre, em continuidade e solidariedade uns com os outros. As promessas desesperadas de ampliação do Bolsa Família vindas de quem até pouco tempo o desdenhava como “Bolsa Vagabundo”, ou a cortina de fumaça que se constrói ao redor do debate do pré-sal, indicam que, atualmente, é impossível eleger-se no Brasil negando certos direitos recém-descobertos por vastas parcelas da população. A elite, mais do que nunca, precisa esconder seu verdadeiro programa.

3 comentários:

Tamara Saré disse...

Perfeito!!!

Anônimo disse...

Itajaí,
Qual sua opinião sobre o Noblat?

Itajaí de Albuquerque  disse...

Faz tempo que não leio o que esse nacional publica. Mas, sem dúvida, ele se enquadra perfeitamente no que o Rodrigo Nunes critica.