terça-feira, 13 de março de 2012

O Médico e o Fotógrafo







Carlos Barreto é médico. Sua especialidade: intensivista. Trata-se do camarada encarregado de manter acesa a linha da vida quando ela ameaça apagar-se. Para profissionais do seu quilate, a precisão é imprescindível. Quem sabe tenha influência dessa rotina a característica mais expressiva das fotografias de Carlinhos: elas são geométricas, mas insinuantes. A exatidão, nessas imagens, é pervertida. A reta propõe a fuga dos olhos. A linha do horizonte ameaça uma rebeldia, assimilando personagens como num quebra-cabeça. É uma fotografia a ser desvendada. Como se o médico, preciso como deve ser, ressuscitasse no diagrama do olhar as suas mais estimulantes incertezas. Que são, na verdade, as inevitáveis imprecisões humanas.
Texto de Paulo Silber.

12 comentários:

Carlos Barretto  disse...

Já falei pro Paulo, enquanto conversávamos online.
Agradeço honradíssimo este post dele. Aproveito também para agradecer publicamente, o excelente texto de Paulo Sílber.
Tentarei honrar o grande empurrão dos dois.

Muito obrigado, "Paulos"!

Edyr Augusto Proença disse...

Posso apenas imaginar o stress a que é submetido todos os dias e louvo seus textos, sua macmania e principalmente suas fotos, cheias de sentimento e talento. Curiosamente, não nos conhecemos pessoalmente, mas o admiro muito.
Abs

Marise Rocha Morbach disse...

Carlos Barreto,

Muito legal o texto do Paulo Silber e a merecido empurrão dos "Paulos". O talento tá aí prá quem quiser ver. Eu prefiro te encontrar na fotografia que na UTI, rsrsrs. Brincadeiras de lado, gosto muito das fotos e torço pelas "inevitáveis imprecisões".Vamos que vamos Barreto. Bj.

Prof. Alan disse...

Intensivista, o encarregado de manter acesa a linha da vida. Nunca antes eu havia pensado assim, nessa metáfora belíssima...

Carlos Barretto  disse...

Nossa, Edyr.
Seu comentário se estendeu sobre mim como uma imensidão de carinho.
Tentarei fazer por merecê-lo.
Muito obrigado, amigo.

Carlos Barretto  disse...

Marise e Alan

Conheci o Paulo Silber há alguns anos, quase na mesma época em que entrei em contato com o outro Paulo. O Santos.
De lá para cá, passaram-se uns 20 anos (tempo que durou meu casamento). Nunca mais o vi. Mas acompanhava encantado, os belos textos que o jornalista Paulo Silber fazia para O Liberal. Sempre este primor de sensibilidade.
Durante a "curadoria" que fez para o Fotobarragem, Paulo Santos me informou que Silber fez questão de fazer pessoalmente este texto a respeito das minhas 5 imagens escolhidas para o evento.
Só este fato, além de me cravar profunda emoção, obviamente deixou-me extremamente honrado. Foi o primeiro texto que alguém escreveu sobre minhas 5 imagens. E também sinalizou um reencontro.
Feito pelo Silber, é demais para um só coração, errante como o meu.

Abraços e obrigado pelos comentários.

Valeu, Paulos!

Carlos Barretto  disse...

Ah!
Ia esquecendo. Ser intensivista, como toda profissão, às vezes é tédio, às vezes é muito triste, mas frequentemente, é o mais pleno dos prazeres.
Há de tudo. E o "stress" é uma das marcas desta especialidade. É claro.
Cabe ao homem, como homem, enfrentá-lo de alma lavada.

Abs

Alan Wantuir disse...

Não é esse também que gosta de tecnologia e tirar fotos da sacada do apartamento?

Alan Wantuir disse...

Não é esse também que gosta de tecnologia e tirar fotos da sacada do apartamento?

Belenâmbulo disse...

Exemplo inspirador para mim.

Abraço

Scylla Lage Neto disse...

Curiosamente as fotos selecionadas são as minhas favoritas do Barretto.
Todas as 5!
Parabéns Dr. Jekyll!
Parabéns Mr. Hyde!
Rsss.

Carlos Barretto  disse...

Sou eu sim, Alan. Rssss

Meu caríssimo, Wagner. Não seja modesto. Mesmo assim, obrigado.

Pois é, Scylla. Também gosto muito delas. E o Paulo Santos quando as escolheu, também levou em conta minha deslavada ligação emocional com Mosqueiro, um dos pontos em comum à todas elas.
Thank you, my dear Watson.
Rssss

Abs à todos.